José Luiz Pederneiras

Nasceu em Belo Horizonte (1950) e vive e trabalha no Rio de Janeiro. Conhecido por sua premiada produção na área de publicidade e por uma série de ensaios fotográficos que acompanham a trajetória do Grupo Corpo, o artista mantém uma consistente produção autoral, tendo participado de mais de 15 exposições individuais e coletivas. Residente no Rio de Janeiro, Pederneiras já realizou exposições em Buenos Aires e Caracas, e, em 2010, sua obra ganhou uma exposição retrospectiva individual na Grande Galeria Guignard, no Palácio das Artes, em Belo Horizonte.

José Luiz Pederneiras

Nasceu em Belo Horizonte, Brasil, em 1950
Fotógrafo, residente no Rio de Janeiro
 

Formação

1970 -1976 Escola de Medicina, UFMG, Belo Horizonte

Exposições
• Mostra paralela `a SP-Arte/Foto na AM Galeria Horizonte – S.P. - 2011
• Individual na Grande Galeria Alberto da Veiga Guignard - Palácio das Artes - Belo Horizonte - 2010
• Mostra de audio-visuais na Galeria Fototeca em Caracas, Venezuela -1978
• Participação como convidado (Premiado) no 6º Salão Global de Inverno, Belo Horizonte - 1978
• Mostra de audio-visuais na SEARJ, Rio de Janeiro - 1978
• Salão do Futebol – Fundação Palácio das Artes, Belo Horizonte  – 1978
• Sala Corpo de Exposições, Belo Horizonte – 1978
• VII Salão Paulista de Arte Contemporânea, São Paulo – 1977
• 5º Salão Global de Inverno em Belo Horizonte - 1977
• 4º Salão Global de Inverno, Belo Horizonte  - 1976
• Mostra de audio-visuais na Galeria Graffitti, Rio de Janeiro – 1976
• Bienal Nacional de São Paulo – 1976
• Salão de Arte Fotográfica de Sabará – 1976
   • Centro de Arte e Comunicação (CAYC), Buenos Aires, Argentina – 1975
   • 3º Salão Global de Inverno, Belo Horizonte - 1975

Prêmios
• 1º Prêmio de Arte, da Fundação Conrado Wessel – FCW – São Paullo -Título: Cantora de Ópera – 2008
• Prêmio Prata conferido pelo jornal O Globo pela foto da campanha Frágil - SulAmérica Seguros – 2002
• Prêmio Ouro conferido pelo jornal O Globo pelas fotos (3) da campanha Datas - Telefônica Celular – 1999
• Prêmio Profissional do Ano, categoria fotógrafo, conferido pela ABP - Associação Brasileira de Propaganda -1992
• Prêmio “A Capa do Ano” do disco Serú Girán do artista Charly Garcia em Buenos Aires – 1978
• Prêmio FUNARTE no 5º Salão de Inverno - 1977
• 3º Prêmio no 5º Salão de Arte Fotográfica de Sabará - 1976
• Grande Prêmio de Viagem à Europa no 4º Salão de Inverno - 1976
 
Ensaios fotográficos para os espetáculos do Grupo Corpo

• SEM MIM - 2011
• IMÃ – 2009
• BREU – 2007
• LECUONA – 2004
• SANTAGUSTIN - 2002
• O CORPO – 2000
• BENGUELÊ – 1998
• PARABELO – 1997
• BACH – 1996
• SETE OU OITO PEÇAS PARA UM BALLET – 1994
• NAZARETH – 1993
• 21 – 1992
• VARIAÇÕES ENIGMA E TRÊS CONCERTOS – 1991
• A CRIAÇÃO – 1990
• MISSA DO ORFANATO – 1989
• CANÇÕES e DUO – 1987
• BACHIANA e CARLOS GOMES SONATA – 1986
• PRELUDIOS – 1985
• SONATA - 1984
• ÚLTIMO TREM - 1980
• MARIA MARIA – 1976

Fotografia em livros

• SESC Palladium, 2011

• A arte da gastronomia pelo Brasil Girassol Comunicações, 2004

• Caixa de Fumaça, Rubens Gerschmann RG Produções Artísticas e Culturais Ltda., 2001

• Oito ou Nove Ensaios sobre o Grupo Corpo. Organização: Inês Bogéa Editora Cosac & Naify, 2001

• Gustavo Pena Arquiteto, Editora Celacanto, 2001

• Grupo Corpo Companhia de Dança, Editora Salamandra, 1995

Fotografia em catálogos

• H. STERN – 2010 (campanha internacional)

• H. STERN – 2007
 
• AMSTERDAN SAUER – 1999

Fotografia em publicidade para as agências DPZ PROPAGANDA, DM9DDB, MCCANN ERICKSON, EURORSCG, J.W.T., MPM PROPAGANDA, PROLE, F/NAZCA S&S, NBS, ARTPLAN, OGILVY & MATHER, GIOVANNI+DRAFTFCB, PROPEG e TOM COMUNICAÇÃO,

Fotografia em Discos e CDs (capa, contracapa e libreto) para as gravadoras POLYGRAM/UNIVERSAL, SOM LIVRE, EMI ODEON, BMG, WARNER, SONY MUSIC  e para artistas como A Cor do Som, Charly Garcia, Chico Mário, Chitãozinho e Xororó, Dalto, Erasmo Carlos, Flávio Venturini, Hermeto Paschoal, Ivete Sangalo, Jane Duboc, João Bosco, Lisa Ono, Lucas Babin, Moreno + Domenico + Kassin, Nelson Gonçalves, Rosa Passos, Nei Lopes e Wilson Moreira, Roupa Nova, Tom Zé, Tunai, Wagner Tiso, José Miguel Wisnik,
14-Bis, Cristina Braga

Exposições

• Mostra paralela `a SP-Arte/Foto na AM Galeria Horizonte – S.P. - 2011
• Individual na Grande Galeria Alberto da Veiga Guignard - Palácio das Artes - Belo Horizonte - 2010
• Mostra de audio-visuais na Galeria Fototeca em Caracas, Venezuela -1978
• Participação como convidado (Premiado) no 6º Salão Global de Inverno, Belo Horizonte - 1978
• Mostra de audio-visuais na SEARJ, Rio de Janeiro - 1978
• Salão do Futebol – Fundação Palácio das Artes, Belo Horizonte  – 1978
• Sala Corpo de Exposições, Belo Horizonte – 1978
• VII Salão Paulista de Arte Contemporânea, São Paulo – 1977
• 5º Salão Global de Inverno em Belo Horizonte - 1977
• 4º Salão Global de Inverno, Belo Horizonte  - 1976
• Mostra de audio-visuais na Galeria Graffitti, Rio de Janeiro – 1976
• Bienal Nacional de São Paulo – 1976
• Salão de Arte Fotográfica de Sabará – 1976
   • Centro de Arte e Comunicação (CAYC), Buenos Aires, Argentina – 1975
   • 3º Salão Global de Inverno, Belo Horizonte - 1975

Prêmios
• 1º Prêmio de Arte, da Fundação Conrado Wessel – FCW – São Paullo -Título: Cantora de Ópera – 2008
• Prêmio Prata conferido pelo jornal O Globo pela foto da campanha Frágil - SulAmérica Seguros – 2002
• Prêmio Ouro conferido pelo jornal O Globo pelas fotos (3) da campanha Datas - Telefônica Celular – 1999
• Prêmio Profissional do Ano, categoria fotógrafo, conferido pela ABP - Associação Brasileira de Propaganda -1992
• Prêmio “A Capa do Ano” do disco Serú Girán do artista Charly Garcia em Buenos Aires – 1978
• Prêmio FUNARTE no 5º Salão de Inverno - 1977
• 3º Prêmio no 5º Salão de Arte Fotográfica de Sabará - 1976
• Grande Prêmio de Viagem à Europa no 4º Salão de Inverno - 1976
 
Ensaios fotográficos para os espetáculos do Grupo Corpo

• SEM MIM - 2011
• IMÃ – 2009 
• BREU – 2007
• LECUONA – 2004 
• SANTAGUSTIN - 2002
• O CORPO – 2000
• BENGUELÊ – 1998
• PARABELO – 1997
• BACH – 1996
• SETE OU OITO PEÇAS PARA UM BALLET – 1994
• NAZARETH – 1993
• 21 – 1992
• VARIAÇÕES ENIGMA E TRÊS CONCERTOS – 1991
• A CRIAÇÃO – 1990
• MISSA DO ORFANATO – 1989
• CANÇÕES e DUO – 1987
• BACHIANA e CARLOS GOMES SONATA – 1986
• PRELUDIOS – 1985
• SONATA - 1984
• ÚLTIMO TREM - 1980
• MARIA MARIA – 1976

Fotografia em livros

• SESC Palladium, 2011
• A arte da gastronomia pelo Brasil Girassol Comunicações, 2004
• Caixa de Fumaça, Rubens Gerschmann RG Produções Artísticas e Culturais Ltda., 2001
• Oito ou Nove Ensaios sobre o Grupo Corpo. Organização: Inês Bogéa Editora Cosac & Naify, 2001
• Gustavo Pena Arquiteto, Editora Celacanto, 2001
• Grupo Corpo Companhia de Dança, Editora Salamandra, 1995

Fotografia em catálogos

• H. STERN – 2010 (campanha internacional)
• H. STERN – 2007
• AMSTERDAN SAUER – 1999

Fotografia em publicidade para as agências DPZ PROPAGANDA, DM9DDB, MCCANN ERICKSON, EURORSCG, J.W.T., MPM PROPAGANDA, PROLE, F/NAZCA S&S, NBS, ARTPLAN, OGILVY & MATHER, GIOVANNI+DRAFTFCB, PROPEG e TOM COMUNICAÇÃO,

Fotografia em Discos e CDs (capa, contracapa e libreto) para as gravadoras POLYGRAM/UNIVERSAL, SOM LIVRE, EMI ODEON, BMG, WARNER, SONY MUSIC  e para artistas como A Cor do Som, Charly Garcia, Chico Mário, Chitãozinho e Xororó, Dalto, Erasmo Carlos, Flávio Venturini, Hermeto Paschoal, Ivete Sangalo, Jane Duboc, João Bosco, Lisa Ono, Lucas Babin, Moreno + Domenico + Kassin, Nelson Gonçalves, Rosa Passos, Nei Lopes e Wilson Moreira, Roupa Nova, Tom Zé, Tunai, Wagner Tiso, José Miguel Wisnik, 
14-Bis, Cristina Braga

Imagem de Amostra do You Tube

Íntimo da qualidade

José Alberto Nemer

A intimidade de José Luiz Pederneiras com o Corpo ultrapassa os limites da aproximação e do entendimento para ser parte de seu código genético. Sendo da família onde a gestação e o nascimento do grupo aconteceram, José Luiz preferiu a dança do olhar e da memória. Tornou-se o cronista visual de cada espetáculo, mas também de seu processo de construção ao longo de todos estes anos. A observação aguçada e penetrante de cada movimento e do conjunto que se apresenta, faz das fotografias de José Luiz algo além de um instrumento de registro e divulgação. Elas captam momentos altamente significativos, inusitados e que, provavelmente, passariam ao largo das lentes da maioria dos fotógrafos. É esta familiaridade com o âmago da obra do Corpo que permite a José Luiz pinçar o instante exato e fazer dele outra obra, ao mesmo tempo atrelada ao tema e autônoma como linguagem.

As fotografias aqui reunidas têm sua gênese nesse mergulho contínuo na dinâmica de criação do Grupo Corpo, mas desta vez, especificamente, nos elementos que compõem o ambiente em torno, na textura de um cenário, na incisão da luz, no encontro dos tons. As fotos são fruto de tal grau de profundidade, numa dissecção in vivo, que resultam em imagens de uma surpreendente ultra-estrutura. Elas revelam a pertinência estética do campo microscópico, não no sentido biológico ou técnico, mas na capacidade de penetração do olhar. É uma visão detida e subliminar, sem trair a realidade mais objetiva do Corpo que dança. Se, como espectadores, estamos acostumados a ver na tridimensionalidade do palco o movimento contínuo, temos na fotografia a apreensão estática na bidimensionalidade. Em contraponto à figuração e à música, temos aqui a abstração e o silêncio.

Numa tônica minimalista, esta nova série de José Luiz Pederneiras elege e exacerba as sutilezas das relações entre as matérias, as cores, os tons, as luzes. Componentes de um todo que, num olhar desarmado ou na velocidade encantada de um espetáculo, se perderiam. O fotógrafo traz à tona, com independência e rigor, as possibilidades de uma trama que se desgarra da realidade de origem e inaugura outra, sensível realidade plástica.